São Roque Retomará a Construção da ETE do Bairro Guaçu » Roberto Infanti

São Roque Retomará a Construção da ETE do Bairro Guaçu

15/03/2012 por Roberto Infanti Deixe um comentário »

Construção da estação de tratamento de esgoto é retomada no Guaçu

Gostaria de pedir vênia à digníssima assessoria de imprensa da prefeitura de São Roque para contestar esse número de 100% de tratamento do esgoto coletado e o faço porque vi in loco a descarga de esgoto in natura, que vem do Conceição e da Vila Amaral, no rio que corta a Rodovia Prefeito Quintino de Lima e deságua na represa da Cascata, correndo pelo bairro do Junqueira. Acredito ser a cabeceira do Rio Carambeí. O cheiro de esgoto é muito forte, principalmente à noite, quando, normalmente, eles descarregam. Logo, essa notícia é, em parte, mentirosa. O serviço não é tão bom quanto estão apregoando. 

da assessoria de imprensa da prefeitura de São Roque

Foram reiniciadas ao longo da semana as obras de construção da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) do bairro do Guaçu.

As obras fazem parte da parceria entre a Prefeitura de São Roque e a Sabesp, e contemplam a implantação de toda a infraestrutura de coleta e tratamento de esgoto no município.

Com prazo de conclusão para 2014, segundo a Sabesp, a construção permaneceu paralisada por quase quinze anos, devido a problemas contratuais entre a companhia e a empresa que construía a estação na época.

A retomada das obras se deu com o início dos trabalhos de terraplanagem da plataforma, e estão sendo executados pelo consórcio Crisciuma/Cappellano, que venceu a licitação promovida pela companhia estadual de saneamento.

Conforme informações contidas no plano municipal de saneamento básico serão investidos R$ 55 milhões, entre a construção da estação de tratamento de esgoto e as obras do sistema de coleta.

Uma vez em funcionamento, o índice de tratamento em São Roque chegará aos 100% do esgoto coletado. Além da retomada, foram iniciadas a construção de ramais coletores em outros ponto da cidade, dispositivos que serão responsáveis por conduzir os dejetos até a ETE.

No total, serão 227,5 litros de esgoto por segundo que deixarão de ser lançados sem tratamento, contribuindo com a despoluição e manutenção da vida dos rios e córregos da cidade.

Os comentários estão fechados.