Comentários Sobre a Nota de Repúdio da OAB/SP

05/05/2020 por Roberto Infanti Deixe um comentário »

EM DEFESA DA DEMOCRACIA

        Quero enfatizar que também defendo de forma irrestrita e incondicional a democracia, o respeito à ordem constitucional e o Estado Democrático de Direito. Defendo os princípios constitucionais e a importância da harmonia dos três poderes, exercendo, cada uma suas atividades com independência e respeito às atribuições que lhes compete, sempre em consonância com a Constituição Federal.

        A OAB/SP – Ordem dos Advogados do Brasil Seção São Paulo, em sua nota de repúdio, emanada do Presidente, Caio Augusto, assim se pronuncia:

Nota Pública – Em defesa da Democracia

(…) repudiar qualquer manifestação que atente contra os princípios constitucionais e rechaçar quaisquer inadmissíveis iniciativas que pugnem pela ruptura democrática, por intervenção militar e pela edição de atos institucionais contra as liberdades e garantias individuais. (…)

        Há contradição em sua nota, pois o repúdio deveria ser contra o status quo que se apresenta. Seria compreensível posicionamento contra a manifestação daquelas pessoas que ficaram nuas, fizeram sexo e defecaram dentro da igreja, no momento em que estava sendo celebrada missa. Ainda, se está na defesa da democracia, deveria respeitar e pugnar pelo respeito do voto da maioria da população.

        Entendo sua preocupação, todavia, não compactuo. Para tanto, cito Volteire:

“Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las” (Voltaire)

        Não importa opiniões, o direito está acima de tudo, por isso deve ser defendido e preservado.

        Acredito que este seja o momento da OAB estar com o povo, que tem o sagrado direito de dizer e requerer o quem bem entender, desde que a reivindicação não seja crime, nem apologia ao crime.

       Todas as manifestações que assisti foram pacíficas, respeitosas e ordeiras. Famílias nas ruas protestando. Pura manifestação de repúdio à corrupção, à velha política, aos desmandos. Repulsa a políticos trapaceiros e mentirosos, que não têm dignidade nem honra. Elegem-se com um discurso e depois de eleitos o negam. Fazem promessas para se elegerem e depois, sem nenhum pudor negam.

       Ficou claro, nessas manifestações, que o povo bradava por liberdade, em seu mais amplo sentido. O povo repudia e afasta qualquer tipo de totalitarismo, seja de esquerda ou de direita; quaisquer desmandos ou abusos. Tais manifestações foram justamente na defesa da Operação Lava Jato e todas as demais operações que coloquem políticos corruptos na cadeia.

       As manifestações se deram em defesa da democracia, pois em sua maioria o que se viu foi o povo demonstrando seu apoio irrestrito ao Presidente da República, em defesa do respeito ao seu voto.

       Basta de golpes!

       Basta de política suja!

       Basta de mídias corruptas e corruptoras!

       Basta de desrespeito ao povo!

       O brasileiro não suporta mais!

    Que pais é esse que o povo vai às urnas para decidir a forma de governo, opta pelo presidencialismo, mas não era o que o governo esperava, logo tenta nos impor o Parlamentarismo branco; o povo vai às urnas para decidir sobre o desarmamento, o resultado não é o esperado, então utilizam todas as manobras possíveis para implantar a qualquer custo o que está aí; isso entre tantas outras decisões que o povo disse uma coisa e os governantes outra, por não atender, a resposta, aos seus interesses.

     A OAB deveria, no meu entender, estar na linha de frente no combate a esses políticos, para expurgá-los da vida pública para sempre e, no entanto, não é que vejo.

     Ressalto que o povo está cansado desses políticos enganadores, mentirosos, falsos, traidores, que graças a Deus são minoria. Só não posso dizer, que aqueles, são usurpadores, porque faram sufragados. Mas posso caracterizá-los com os adjetivos acima, já que para conseguir os votos enganaram seus eleitores, o povo.

     Respeito a posição da OAB/SP, embora não concorde. Como disse acima defendo seu direito de manifestação, porém, gostaria de ver a minha OAB/SP empunhando a bandeira do povo paulista e brasileiro.

2 comentários

  1. Renato Jose Girnos disse:

    Executivo é eleito, legislativo é eleito, judiciário é por indicação…….ha há ha.
    Como acreditar em uma coisa dessas?
    Democracia está bem longe disso.

  2. Boa noite Renato!
    É verdade, inaceitável esse sistema em que fomos inseridos.
    Um indivíduo estuda anos para se tornar advogado e, diga-se de passagem, é uma das profissões que mais exigem, pois temos que estudar todos os dias para nos atualizarmos.
    Aí, vem um indivíduo, que é amigo do Rei, advogado que nunca defendeu uma causa na vida, ou é proprietário de um grande escritório, cheio de influência nas altas esferas e é indicado para o cargo.
    Esse indivíduo, que nunca passou em um Concurso Público, nem foi juiz, vira Desembargador ou Ministro e é “o cara” que irá julgar seus processos.
    Esse não é o maior problema. O maior problema é que fazem tráfico de influência. Grandes conglomerados, sabendo o caminho das pedras, procuram esses escritórios, porque sabem que o resultado é certo.
    No meu ponto de vista, considerando que o advogado presta concurso, o Exame da OAB, para poder exercer a profissão; o juiz presta concurso para exercer a magistratura; assim como também o Promotor, o defensor e todos os demais cargos do mundo jurídico, é uma excrescência a indicação dos cargos majoritários. Verdadeira ação entre amigos. Pessoas escolhidas a dedo para serem servis ao partido político que os indicou. Com elevadas remunerações.
    Passou da hora de se ter nos Tribunais pessoas aprovadas em concurso público para exercer cargos de Desembargadores e Ministros, pela independência do Judiciário!
    Grande abraço.

    ROBERTO INFANTI
    OAB/SP 283.815 D